Estrada Perdida (Lost Highway) / Enigma Mortal (Doppelganger) / Primer – 3 reviews pelo preço de 1!

Tudo bem que são 2 filmes que eu não gostei e 1 que mal entendi hahaha. Perdeu.

Lost Highway é um filme estadunidense de 1997, dirigido por David Lynch. Quando digo sinceramente, é com toda sinceridade que eu boiei nesse filme. Começa meio noir, daí vira psicodélico, daí vira transferência mental, daí vira psicológico e daí… perdi a conta. Quando me falaram que David Lynch é muito louco eu pensei “mutcholoco tipo Clube da Luta, um dos meus filmes favoritos” mas foi meio muito louco do tipo “manda internar”. Detalhe eu confundi David Lynch (esse diretor) por David Fincher, não me culpem.

A história basicamente é… O saxofonista Bill Pullman e a esposa dele (A na época deliciosa Patricia Arquette mas que está assustadora por algum motivo nesse filme) recebem filmes em VHS que demonstram a casa deles até quando eles estão dentro e dormindo. Bill acha que a esposa está traindo ele. Acho.

Recebem uma ligação falando que alguém está morto. Bill e esposa vão a uma festa, encontram um homem que apareceu no sonho de Bill (tenso por que ele está na casa do Bill e na festa ao mesmo tempo). No outro dia nosso protagonista vê a nova fita VHS: Ele matando a esposa. É preso pelo crime e condenado.

Na prisão um dia na mesma cela some Bill e aparece um jovem, de nome Pete Dayton, com problemas de memória. Levam Dayton pra casa dos pais e ele resume a vida de mecânico, até encontrar um magnata violento lá, que anda com uma mulher que é A CARA da Arquete, esposa do Bill (mas de cabelo diferente). Apesar de Dayton ter namorada, ele tem um caso com a Arquete. Ele combina de roubar um amigo dela pra fugirem. Tal amigo é o dono da festa onde Bill encontrou o estranho láaa no começo. Nessa casa Dayton vê um filme pornô da Arquete, que diz que o Magnata é diretor pornô. Dayton mata sem querer o magnata e vai pro deserto (onde tem uma cabana dos sonhos dele). Arquete vira o homem misterioso, Dayton volta a ser Bill e vai ao motel onde Arquete e o Magnata estão fazendo sexo.

Bill traz o Magnata pra cabine no deserto e bate nele. Acho que dormi. Daí Bill vai a antiga casa e faz a ligação misteriosa que ele mesmo recebeu no começo do filme (que alguém está morto), quando foge de carro, perseguido por uns policiais.

Não tive saco pra ver esse filme, vi pulando (sou desses). E não tenho vontade de rever (Apesar de ter Arquete pelada). Ver Bill Pullman “Presidente de Independence Day” nesse filme foi estranho, já que ele faz muitos papéis de mocinho. A melhor parte do filme é quando o magnata violento arrebenta um cara que forçou uma ultrapassagem. O resto é viagem.

Nem sei como dar nota pra esse filme, mas pra Lynch fica… Nota aniz.

Entendeu? Nem eu. Mas acho que tem a ver com doppelgangers. Acho. Aliás:

Enigma Mortal (outro de vários com o nome original Doppelganger) é um filme de 1993 com a atriz Drew Barrymore recém completada 18 aninhos. Sabe o que isso significa né? Sim, sabe. Ela fica pelada.

Basicamente Drew muda pra Los Angeles pra dividir um apê com um escritor meio medíocre que colocou um quarto pra alugar no jornal. Obviamente ela não bate bem, vc percebe logo. Do nada ela parece seguir o cara, as vezes trata ele como amigo, na madrugada transa com ele e de manhã fala que o que passa com ele “e a outra” não é pra interferir com o relacionamento dele com ela… ahh mulheres. E a casa fica coberta de uma substância que parece pele.

Ok, Drew é a herdeira de uma fortuna da família, cujos pais aparentemente foram mortos pelo irmão mais novo dela. Como irmão está internado ela vai tentar em contato com ele, mas muitas pessoas suspeitam que ELA foi a assassina dos pais. Aparentemente a cópia dela mata o irmão.

Drew dá um jeito de ir pra antiga casa da família dela, onde ela é dopada e sequestrada por ela mesma (e essa cópia matou geral, implicando que Drew era a má). O escritor vai atrás da cópia, que vira o pai adotivo abusivo ou coisa assim de Drew e quase é pego pelo vilao/vilões. O escritor dá um jeito de ir na casa onde a mina está e…

Descobrimos que todo esse rolo foi organizado pelo advogado da família, que queria a grana e era apaixonado por Drew. Sim, ele se disfaçava de todo mundo, melhor que o Máscara. E o final foi caminhando pra um tipo Scooby Doo quaaaando…

Drew se divide pela metade e vira um monstro feio e escroto/mal feito pra caraio. Ela mata o advogado e pelo jeito tem um momento de ternura com o escritor. Ela desvira monstro e final feliz.

Sério, não me importo muito com a história do filme. Mas velho, quando ela transforma é nojentaço. Ok que é só um filme, mas depois que ela destransforma, se eu fosse o carinha, sumia pra sempre. É como vc ver uma comida linda, mas é feita de cocô. VC NAO COME!

Mas tire a cabeça disso. Não veja o filme, é tosco. Só que é doppelganger, então, tá na lista. Nota 2 (por Drew). veja a melhor cena do filme (que posso colocar num site cujo nome é Criança):

E Primer.

Primer é um filme de baixo orçamento americano de 2004, que trata de… viagem no tempo E doppelgangers! Economia de assuntos nesse .

4 amigos que trabalham e tem uma empresa “fora do horário de serviço” na garagem de um deles se dividem quando fazem uma máquina que não sabe o que faz. Conforme vão testando, 2 desses amigos percebem que a máquina aparentemente faz o tempo passar diferente dentro dela. Acabando a sociedade, os 2 buscam maneiras de melhor entender como funciona. Um deles constrói uma em tamanho de um caixão e… usa pra voltar no tempo, mas isso você só descobre depois.

A regra aqui é que você só volta no tempo até o momento em que a máquina foi ligada. Vamos dizer que você ligou a máquina ontem. Você não pode viajar pra semana passada ou sei lá, ano passado. Só até ontem. E você só volta o tempo que gastou dentro da máquina (se quiser voltar 2 dias, fica 2 dias lá dentro).

Esse é ó típico filme que não se entende de uma vez. Precisa ver de novo. Pra piorar é um filme de linguagem complexa e eu não consegui legendas. Confesso que o final do filme eu entendi por cima (tive que ler o resumo no wiki pra sacar) e agora verei de novo para entender melhor.

Da dupla de inventores (o loiro e o moreno) o loiro é mais atirado, fez a máquina do tempo e voltou pra avisar o amigo. Eles viajam no tempo, ganhando dinheiro com bolsa de valores, não contam pra ninguém.

Ok , eu juro que queria fazer uma resenha melhor, mas prefiro que você veja. È um ótimo filme. Complicado pra caramba.

Nota 8.

Coisa que o Criança Perpétua ouviu e sai falando por aí:

O loirinho é o autor/diretor do filme. O custo foi de 7000 dólares, e a maioria do custo foi em filme p/ filmadora.

Existem filmes que tem muito gravado e depois é escolhido e diminuido na edição. Esse filme teve coisa de 8 minutos extras (o filme ficou em 72 minutos, então eles gravaram totalmente 80 minutos de cenas). Basicamente só foi gravado o que seriam cenas finalizadas.

O diretor até pensou em simplificar o diálogo, mas não era o que ele queria.

A idéia de viagem no tempo “até o ponto em que ligaram a máquina” é uma das mais aceitas de uma máquina do tempo funcional.

Anúncios