Conan – O Destruidor – Filme Review.

Continuando daqui, agora o segundo filme do Conan:

Conan, o Destruidor

Aqui já é mainstream

Falaí, não é tão bom esses filmes que a tradução é literal? Tipo Pânico era… “Grito”, Perigo no Lago era Lago Plácido e A Hora do pesadelo era Pesadelo na rua 45.

Continuando o filme anterior, uma das primeiras coisas que eu percebi foi… mudaram o narrador. Ou o cara perdeu o sotaque estranho. A parte engraçada? O japa que era o narrador, continua no filme!!!

Começa com Conan orando à Crom enquanto um ajudante novo fica de lado. Eles são atacados por uma rainha que semi-hipnotiza Conan para descobrir o que ele deseja (reviver Valéria). A rainha promete isso e ele aceita a missão: Levar uma loirinha ninfeta lá por uma jornada, pegar um cristal para pegar um chifre para reviver um deus da rainha lá. Djóia.

DE CARA percebemos que a rainha é meio vira casaca e ela manda o ajudante dela proteger a ninfeta lá dos perigos e… da perda da virgindade e assim que possível matar Conan. Esse ajudante tem o nome hilário de Bombaata e é simplesmente Wilt Chamberlain, jogador de basquete alto pra burro.

Percebendo que teria de enfrentar mágica, Conan desvia do caminho que a ninfeta queria para encontrar seu amigo japa feiticeiro (que estava pra ser devorado). Caminhando eles encontram Zula (Grace Jones) uma ladra que foi pega e teve todo o grupo morto. Ela estava amarrada e enfrentando uma multidão, quando a ninfeta pede a Conan que a ajude (no que ele simplesmente corta a corrente que a prendia). O grupo vai embora e Zula escapa peitando TODOS. Ela se une ao grupo (a contragosto de Bombaasa) e todos vão à beira de um lago pegar a porra do cristal dentro de um castelo. O cara que vive lá é simplesmente Thoth-Amon o verdadeiro inimigo clássico de Conan. A ninfeta quer atravessar o lago de cara, no que Conan fala que não, passarão a noite lá (rola um atrito entre eles por que ela tá a fim de Conan).

Enquanto o grupo dorme, Amon se transforma em um pássaro de fumaça e rapta a menina. Diga-se de passagem o efeito foi rústico, mas legal. Nada se compara a tecnologia atual, mas curti mesmo o pássaro. Pois bem, o grupo vai desesperado atrás da ninfeta de manhã, precisa encontrar entradas alternativas (o japa feiticeiro é mil vezes mais útil nesse filme) e Conan tem que enfrentar uma criatura réptil em uma sala de espelhos (que me lembrou muito Bruce Lee em Operação Dragão, do original Entra o Dragão). Conan descobre que a única maneira de matar o bicho é quebrar os espelhos e somos presenteados com uma sequência de Arnold quebrando espelhos em câmera lenta que CANSA. Faltando 2 espelhos (um com o inimigo e outro com os amigos) Conan finge ir atacar o errado e acerta em cheia o de Amon, que é empalado e vai segurar o cristal e morre (mais por segurar o cristal que pelo empalamento).

A ninfeta FINALMENTE acorda e é encontrada, pega o cristal e não morre e o lugar começa a desabar (era feito de ilusão segundo o japa). O grupo é atacado por uns caras que aparecem randômicamente durante o filme e que aparentemente é o apoio de Bombaata. O grupo e Conan sobrevivem, sendo que o último é atacado por Bomba que fala que “o confundiu com um inimigo”.

A noite rola uma tentativa de sedução de Conan pela ninfeta, mas este bêbado fala que já tem a dele: Valéria. E que ele curte guerreiras. A ninfeta pede ajuda sobre lutas a Zula que logo é despachada por Conan que fala que o bastão Zula usa (muito bem) é um palito de dentes. Conan capota de Bêbado. No dia seguinte eles pegam um caminho muito louco (coisas de ninfeta) e encontram OUTRO templo. Entram e depois de problemas pegam o tal chifre. Na saída UMA PORRADA de gente os barra e eles precisa sair lutando. Na fuga Bombaasa derruba o túnel, quase prendendo Conan, Zula, o Ajudante trapalhão que eu não mencionei até agora, mas depois falo mais e o japa mago. Bombaasa e a ninfeta vão pro castelo e o grupo segue atrás, após escapar do túnel. Como a entrada está superguardada, Conan e trupe vão por uma cachoeira e entram escondido enquanto rola o ritual. Bombaasa aparece e Conan o enfrenta, o grupo sai para salvar a menina.

O chifre que eles conseguiram serviria para reviver o “Deus dormente” que iria trazer caos e destruição. Mas para completar o ritual, precisava do sacrifício de uma virgem (a ninfeta). Vilões põe o chifre na estátua, o troço começa a mexer e quando iam matar a garota, o grupo de Conan intervém. È quando a estátua vira um monstro que escapou de um episódio ruim de spectreman e sai matando geral, jogando raios e tudo. Conan tenta enfrentá-lo mas só se fode. O japa fala que o truque é tirar o Chifre do bicho e depois de uma luta, Conan assim o faz e o mata. Nesse rolo, todos os líderes maus morrem e só sóbra a ninfeta como líder (era uma princesa afinal).

A ninfeta agora rainha, chama Zula para ser sua chefe da guarda (Bombaasa morreu). O ajudante inútil de Conan como bobo da corte (nhé), o Mago como Mago e Conan pra ser rei do lado dela, no que ele responde que ele vai atrás do próprio reino. Ela dá um beijo nele no que ele nem mexe a cara (pra um filme assim é um puta avanço). Termina o filme com a mesma imagem do Conan no trono, narrador falando das histórias e “Essa história fica pra próxima”.

Tá, e daí?

O filme é bom. Razoável, vá. Muito inferior ao primeiro no quesito história mas teve pontos que me supreenderam. Primeiro é que Grace Jones como Zula foi incrível. A mulher tem um jeito selvagem que impressionou. Ela é uma cantora ou modelo, mas como atriz ela não fez feio nesse filme. Acho que foi ótimo. Cada vez que a ninfeta falava eu quase ria. Ela tinha um sotaque sobrecarregado de britânico, hilário já que ninguém falava assim. Os (parcos) efeitos foram bons.

Posso falar que curti mais esse do que o outro, apesar do outro ser melhor. Faz sentido?

Coisa que li na net e falo que só eu conto pra vc:

Bombaasa fica encarregado de proteger a virgindade da ninfeta. Mas na vida real o cara que o interpretou clamava ter dormido com mais de 10.000 mulheres. No mínimo irônico.

Coisa que eu achei imprestável:

O ajudante. Supõe-se que ele era Subotai, do filme anterior, mas ele não é chamado pelo nome. Imaginei que era outro, até o momento que eles entram na cidade e o cara fala “Lembra desse camelo?” que foi o mesmo camelo que Conan espancou no filme anterior, quando estava com Subotai. No filme anterior o cara era um ladrão mas não se cagava de medo. Nesse o ator parecia NO MÌNIMO drogado. E não fez diferença nenhuma, sendo que as piadinhas eram forçadas demais pra curtir. Outra que nesse os caras se deixaram levar por Arnold e rolou muito mais closes dele, o que foi um saco.

Anúncios