A morte pede carona – Filme Review

Primeiro, ando sem saco pra escrever. Segundo, tou com tempo pra ver 2 filmes back2back. Contraditório pacas.

The Hitcher – A morte pede carona

Nunca tinha visto esse filme e bateu a vontade de vê-lo. Não lembro exatamente quando surgiu a idéia, mas veio junto da vontade de encontrar um filme em que (creio eu) Charles Bronson ensina uns estudantes como usar um lápis para matar uma pessoa (fincando no olho), coisa que um deles acaba fazendo quando o (?) ônibus escolar é sequestrado por terroristas (?). Não se questione muito, é confuso mesmo. DAÌ eu encontrei um filme chamado The Fright, conhecido por aqui como A Casa do Espanto (Do Evil Ed) acho. Um dos atores é meio velhaco e fez MUITA coisa, desde Lassie até… Classe de 84. Classe de 84 é considerado uma atualização punk de Blackboard Jungle (Sementes de Violência). O Class tem um jovem (e redondo) Michael J Fox e um lider de gangue que é um ótimo pianista. Teve uma “continuação” chamada Class of  99  chamado no Brasil de .. O Substituto! Eu lembro de ter visto esse em VHS! Os professores do “futuro” são substituidos por robôs. Bem louco e cara, lembrançasa idosas. Teve uma continuação, mas daí eu fujiria da minha linha de pensamento (é, não parece mas tou com uma). Outros filmes no mesmo estilo que vi e “esqueci” foi O Destruidor com Rutger Hauer E Aliança Mortal, VULGO Wedlock (que é uma gíria pra casamento).

Comecei a me questionar quais filmes e  vi com esse ator que me esqueci, afinal ele fez Blade Runner [que acho inferior a Runaway com o Tom Selleck], A lenda de Aquila e Fúria Cega, alguns dos melhores filmes perdidos da infância. Lendo sobre o ator li que fizeram um remake de A morte pede carona em 2007 (o original é de 86) que basicamente não registrou no meu radar de filmes, nem do de ninguém. E remake é simples: ou é uma merda ou ninguém fala nada. Então imaginei que “até” podia ser bom.

Então resolvi ver os 2 em série.

Com o original fiquei naquela: “POR QUE O IDIOTA FAZ ISSO???” clássico. Passando pelo Texas um moleque quase dorme no volante dirigindo um carro que ele precisa levar à Califórnia pro dono. Para espantar o sono resolve dar carona pra um cara (o Hauer). Acontece que o cara é um psicopata e rapidamente uma carona se transforma em pesadelo. Numa reviravolta que não existe muito hoje em dia, o garoto escapa e tudo vai bem… Até que o carona aparece direto, transformando a viagem num inferno. Não posso negar que curti alguns twists da história, que devido ao nosso costume com os filmes atuais parecem bem “violentos”. O garoto é acusado de várias atrocidades que o carona fez no caminho, é preso… escapa. Divertido. Sò conseguia pensar “porra, se ele tivesse um celular…”

Só discordei um pouco do fim, mas foi um filme que me colou na cadeira e me assustou. Curti.Veja se não viu.

O remake começou errado. Transformou a fuga do personagem principal antigo (levar o carro pra Califórnia e ficar por lá) em uma viagem de lazer de dois namorados. Os 2 vão pro carinha ser apresentado as amigas da garota. O vilão é quase atropelado de cara, e eles não dão carona na hora (culpa da garota). Só encontram de novo o cara em um posto onde ele e o funcionário do posto taram a namorada do principal. Tentando ajudar, ele dá carona pro caroneiro (dã) e o que se passa é praticamente a cena do original agora com um casal (Não saquei até agora por que mantiveram o “Eu quero morrer” e não “nós queremos” já que era um casal nesta versão). Pois bem, jogam o caroneiro pra fora e acabam jogando junto o único celular deles. Situações semelhantes ocorrem nos filmes, mas no remake eles perdem o carro logo em seguida. Não curti. No original o protagonista encontra um carro com vítimas do vilão e vomita, neste o casal encontra o mesmo carro, mas um está vivo, eles dirigem o carro “massacrado” até um posto e são presos. Daí continua igual os filmes, mas muda algumas coisinhas (mas a delegacia é a exacta mesmo, eu vi). Coisas non sense como carros caindo de penhascos na frente da garota… Os papéis se invertendo no motel… Mas o pior  é o delegado bonzinho que agora tem a cara muito mais psicótica que o vilão (que creio ser um dos caras da sociedade do anel).

O final também foi mudado e daí percebi a marca do diretor, meu odiado Michael Bay.

Por pior que tenha sido o final do original (li que mudaram pra ficar menos Solo atirou primeiro) o do segundo é muito inferior, menos suspense…

Vi e achei muito inferior ao primeiro e olha que levei 25 anos pra ver o primeiro…

Veja a Morte Pede Carona. Em 25 anos ainda consegue ser atual. Nossos filhos não entenderão como o mocinho não ligava do celular dele hehehe

Anúncios