The League of Extraordinary Gentlemen – Alan Moore – Review

Continuando a saga do Alan Moore

Num momento de bobeira tive a oportunidade de ler os dois primeiros volumes da série da Liga dos Cavalheiros Extraordinários.

Volume 01 – Capa do Encadernado (creio)

Volume 2 – Segunda edição

Pra variar, Moore manda muito bem.

A história é basicamente uma liga de pessoas “com poderes” da virada do século, reunidas pelo serviço secreto inglês para enfrentar ameaças. A maioria veio dos livros como Mina Harker (de Drácula de Bram Stoker), Allan Quatermain do livro homônimo, Capitão Nemo das história de Julio Verne, Griffin o homem invisível e Henry Hide, de O estranho caso de Dr Jekyll e Sr. Hyde.

Eles são reunidos por um parente de Sherlock Holmes para enfrentar Fu Manchu e bem, um inimigo misterioso.

Não dá pra falar que é uma idéia totalmente original (super grupos são coisa bem antiga afinal) mas Moore foi um dos pioneiro em situar isso no passado com personagens clássicos e já sob domínio público. O estilo do desenhista é bem peculiar, pra não dizer meio sujo, mas conforme vamos lendo nos acostumamos. È aquela história que a primeira vista incomoda, depois você adora.

Outra coisa que como a maioria dos trabalhos de Moore ele coloca um bilhão de referências na mesma revista. Nem que você fosse um nativo inglês saberia todas. Como por exemplo o imediato do navio submergível de Nemo é Ishmael de Moby Dick.  Pollyana, Dupin e até os aliens de Guerra dos mundos dão o ar da graça. Alguns com mais destaque que outros obviamente.

O primeiro volume é a luta para que o mal não consiga material para começar batalhas aéreas em um mundo onde isso não existe ainda… em 1898. 6 edições.

O segundo trata da luta entre humanos e invasores alienígenas, e aparece até Dr. Moreau. 6 edições também. Ambos os volumes se passam na Inglaterra.

O primeiro volume é a introdução do mundo dos personagens e não se aprofunda realmente em um ou outro, todos são desenvolvidos por igual praticamente. A história é muito boa e as referências, na falta de melhor palavra, arrebatadoras.

O segundo desenvolve mais os personagens Hyde e Griffin (O homem invisível) e um relacionamento no grupo. As referências mais uma vez me tiraram do chão. É como reler “Volta ao mundo em 80 dias” pela primeira vez. aliás, é mencionado na revista também.

Acho que se você não leu a Liga, deve ler. Infelizmente fizeram um filme bem pão e circo da revista e você não deve tomar esse filme no máximo mediano como referência.

Coisa que eu descobri essa semana:

Alan Moore fez uma continução. Ok, duas. Uma se chama Black Dossier (Dossiê Negro) e o volume III se chama Century (Século). Essa última está sendo publicada ainda.

Aqui tem uma lista dos personagens que aparecem nas revistas, powered by wikipedia hehe.

Nota 10 – Nota Moore 10 tb

 

Anúncios