Coisas que perdemos: promoções legais

Quando eu era pequeno tínhamos promoções que valiam a pena concorrer. Nada era online, você tinha uma chance real de ganhar e os prêmios eram legais.

Meu maior exemplo é a promoção Snake Coke (e a da Fruttare da Kibon).

Você tomava sua coca-cola (de 1 litro ou garrafinha, hoje chamada KS) e olhava naquele hímen de dentro da tampinha. Entre a porrada de prêmios (que eu não ganhei nenhum, fora outra coca) você concorria a: Um adesivo (um amigo meu teve por muito tempo no carro dele… sério, uns 20 anos), uma mochila (vi algumas por aí, na rua, quando era a época) e o clássico e terror de toda os pais, o Skate da Snake Coke. Esse eu vi UM. Mas mesmo assim, quantos ganhadores da loteria você conhece? Eu conheçia um. Quantos ganham essas novas promoções? Eu não conheço nenhum.

Não lembro exactamente, mas creio ter mais tipos de adesivos, camisetas e traquitanas inúteis e úteis como patins ou bolas. Mas a chance de ganhar era bem maior!

Outro exemplo é da Fruttare. Não sei por que diabos a Kibom resolveu fazer essa promoção “de verão”. Você tomava o sorvete, se tivesse escrito no palito “vale outro” você levava outro. Moleza. Era o sorvete mais barato que tinha e todo mundo tomava. Lembro que a meia quadra de casa tinha uma padaria,  que um dia descobri ser da família da Renata, que estudava comigo… linda e maior amor platônico que um garoto de 11 pode ter. Ás vezes ela era caixa, então eu sempre que podia juntava minhas moedinhas, botava aquela cara extra de idiota que eu tenho e ia comprar coisas. Bolin Bola, Bolin Bolão, Bazooca, Chicletes tubo, tubinho e tubão e minha paição desde criança (que ainda existe) a bala Dadinho.

Como emprego não era meu forte nessa época, fazia uma chantagem básica e falava pra minha irmã que compraria um picolé pra ela e ela conseguia grana pra mais um pra mim. Eu ia, conversava e voltava, realizado por às vezes encontrar minha amiga. Dessa vez voltei com o picolé, simplão da vida e quando terminei tinha ganho outro picolé! Felicidade extrema e resolvi trocar o picolé na hora mesmo. Minha irmã quis outro, conseguiu a grana e lá fui eu levar mais dois picolés pra casa. Tomei o meu e… nada. Quando chega minha irmã falando que tinha ganho outro picolé, mas depois de 2, não queria outro. Eu quis. Não ganhei outro de novo, mas não duvido que com um pouco mais de sorte eu tomaria todos os sorvetes da padaria.

Não é preciso um cálculo muito grande, mas vamos lá:

Primeira leva – Sorvetes: 2. Sorvetes com prêmio: 1.

Segunda leva – Sorvetes: 2. Sorvetes com prêmio: 1.

Então a chance era coisa de 50%! Quantas promoções você pode dizer que tem probabilidade tão grande? Nem aquelas de “junte pra trocar” (Garrafas caneta do Guaraná Brahma, Io-iôs da coca-cola), por que dependendo do posto de troca você não achava mais o que queria.

Eu vejo umas promoções de hoje e fico até meio triste. Você não ganha nada mais tão destrutivo e legal como um Skate, Patins… arma de pressão.

Os brinquedos do MacDonalds mesmo são do fundo do poço. Fui pra Europa esse ano e não lembro se pedi um lanche infantil, sei que ganhei um tiranossauro rex do Burguer King, que meu irmão com 24 anos na cara ficou com inveja. Ficou de presente pro meu filho.

Mas sério, será que a Coca cola anda tão soberba que acha que a gente não tem aquela vontade de olhar dentro da tampinha e ver “Ganhou um camiseta”? Pombas! E eles têm grana pra trocar de roupagem idiota umas 10 vezes por ano!

Anúncios