The Walking Dead – Quadrinhos – Review

Como fiz o review do seriado The Walking Dead, nada como fazer o review da história em quadrinhos, de onde o seriado se originou.

Essa série é do mesmo criador do (òtimo) Invincible, Robert Kirkman e é publicado pela editora Image, que briga com a editora Dark Horse pelo terceiro lugar na luta das bancas, onde os principais nomes são Marvel e DC comics.

Primeiramente quero dizer que o seriado é EXTREMAMENTE fiel as histórias em quadrinhos (tirando o lance do laboratório que apareceu no fim da primeira temporada). Uma coisa que fica bem clara é que cada episódio acumulou várias revistas. E como uma revista de zumbis sem zumbis não faz sentido, a aparição deles é muito maior na HQ. Sério, muito mais gente morre, muito mais gore. A violência alcança níveis muito superiores e não podemos dizer que os episódios do seriado são necessáriamente “clean”.

Os personagens foram mais desenvolvidos já que estamos passando 80 edições da revista. Quer dizer, os personagens que sobreviveram, claro. Tivemos cerca de 5 ou 6 arcos, cada um com sua temática e muito interessantes.

Rick Grim acorda do coma, encontra Morgan Jones e filho, pega armas na delegacia e parte pra Atlanta, procurando a família. Quase morre lá, mas é salvo por Glenn, que o leva ao outros sobreviventes que estão acampados próximo.

Depois que os sobreviventes saem de perto da cidade, onde praticamente começa nossa história, eles encontram uma fazenda com outros sobreviventes e ficam por lá um tempo (No seriado da TV eles passam num laboratório do exército antes). Após isso eles vão pra uma prisão, são atacados dentro e fora dela, encontram o maior vilão da série até agora (The Governor – a cara do Machete), abandonam o local, são caçados por outros humanos e chegam à Washington, onde existe um vilarejo “intocado” pelos zumbis, uma verdadeira sociedade alternativa.

Quero evitar colocar spoilers, mas fica complicado falar qualquer coisa já que muito se passou. Fica então as dicas: a esposa de Grimes (o personagem principal) têm uma filha. O filho dele acaba virando um adulto bem mais cedo (tem que lidar com morte e matar antes dos 13 anos) e lentamente você percebe o quanto Grimes perde de sua humanidade para sobreviver num mundo onde os humanos são quase tão perigosos que os zumbis.

Alguns personagens sobrevivem desde o começo da série e se desenvolvem de maneira impressionante (Como Glenn o cara que salvou Grim na cidade, quando ele ficou preso no tanque). Outros se juntam depois e conforme conhecemos suas histórias entendemos os motivos de cada um deles, como é caso da da família que vivia na fazenda.

O que não faltam (além de zumbis, claro) são surpresas e humanos desprezíveis. Considero uma virtude o autor conseguir explorar a baixeza humana em situações extremas, nos levando a refletir o que faríamos se precisássemos sobreviver tanto quanto os personagens.

Uma coisa engraçada é que o autor responde bem as cartas dos leitores (chegando zombar dos que pedem pra não matar tais personagens) e outra coisa é que a outra revista dele de sucesso, Invincible, tem uma temática tão diferente que se você não prestar atenção, pensa que são autores diferentes. Essa outra revista é pra cima e uma mistura de Homem-aranha com superman adolescentes e com histórias atuais.

Mais informação você pode encontrar no Wikipedia. A revista é publicada no Brasil pela editora HQM, pode ser comprada online no site da Comix e está atualmente no volume 4 (se não me engano a chegada de Michonne, na prisão). O seriado da TV passa terças as 22h no canal Fox da tv à cabo, normalmente todo recortado, logo que saiu nos EUA (O primeiro episódio passou 2 dias depois de estreiar lá fora)

Divirta-se

Anúncios