Red – HQ de Warren Ellis – Review

Red - Aposentados e Perigosos.

Após ver o filme (e fazer o review) de Red – Aposentados e Perigosos, resolvi ler a HQ para saber de onde veio o filme. O autor Warren Ellis faz muita coisa boa, então já dá pra ler sem medo.

Pra começar, assustei com a quantidade de revistas: 3.

Sim, são 3 revistas, uma mini “das pequenas” deu origem ao filme. Achei que se tivesse tudo que aconteceu no filme, seria bem corrido, mas até possível.

Sinceridade? Não entregou. Quem sabe por que o filme é bom, esse é um caso em que o original é inferior. Bem, posso culpar também ao fato de Bruce Willys ser um personagem de ação competente, com uma direção e o elenco do filme se superando. Mas, continuando.

A HQ começa quando o futuro diretor da CIA é apresentado à sala mais secreta de lá (Sala R) e fica estarrecido com que viu lá dentro, ordenando que é necessário acabar com o homem que fez tudo aquilo. O diretor anterior (que estava ambientando o novato) fala que o homem (chamarei de Red) é o melhor agente e que está aposentado, mas o próximo diretor faz questão que Red seja morto, já que ele é muito perigoso e sabe demais.

Corta para casa de Red, onde ele vive tranquilo, mas com horríveis flashbacks sobre as coisas que fez para o governo. Ele mantém um relação de distância com uma pessoa do serviço secreto que só posso imaginar ser seu contato. Ela projeta o que imagina ser o trabalho dele nas conversações.

Quando Red é atacado ele parte para o ataque, usando tudo o que sabe para acabar com quem quer matá-lo. A idéia é que Red só pode fazer duas coisas: Viver escondido em paz ou matar. Como não o deixaram em paz…

A ação das três revistas é boa e rápida, mas não tem outros agentes participando, não tem o interesse tão romântico na mocinha como no filme. Red é uma máquina de matar e é pra isso que ele serve. Várias vezes pessoas são mandada para matá-lo e ele facilmente os despacha.

Spoilers:

No final ele invade o Pentágono (creio eu) e mata o futuro chefe da segurança. O chefe atual fala que tudo isso foi uma maneira de ter Red de volta e que o seu agora falecido sucessor não tinha a capacidade de liderar como o chefe atual. Agora, o chefe de segurança começa a mandar Red obedecê-lo, o que Red não faz. Mata o chefe e vai pra sala de fora, falando ao encarar vários soldados com armas apontadas pra ele “Me ataquem, eu sou o monstro”

/Spoilers

O que posso falar dessa mini-série? Ela é BEEEEM desprovida de conteúdo. Não é ruim, mas é vazia demais. Tenho que bater palmas para o diretor que conseguiu fazer uma história mediana porém interessante, se tornar um bom filme.

Tenho essa birra com a necessidade de colocar mocinhas nos filmes, sem que a história precise delas. Ainda mais quando dão força à elas, numa tentativa forçada (e falsa) de dar poderes às mulheres. Falsa por que são sonhos e desejos masculinos projetados sobre mulheres, não pessoas reais. Bem, pulando isso, a mocinha é frágil, sonhadora… Parece que fugiu de uma comédia romântica, em contraste à agente que faz e acontece. Creio que essa agente é muito mais útil que a outra, mas aparentemente todo mocinho precisa de interesse romântico, senão a população pode pensar que ele é gay acho.

Não nego, o filme é bom, aliás, bem melhor que a HQ. Se você não ler a HQ mas viu o filme, pode ficar tranquilo que não perdeu nada. Só achei desnecessário o aumento da relevância da mocinha… mas deve ser para desenvolver o roteiro sei lá.

Então, se gosta do filme ignore a HQ. A nota média dela é 4.

Anúncios