Coisas da Infância: Medos

A primeira parte está aqui

Lembro de uma vez conversar com meus amigos e falarmos cada um, medos irracionais de infância. Meu grande amigo Gustavo comentou sobre os medos dele:

O monstro que Didi virava no clássico “O incrível monstro trapalhão” que é fácil uma homenagem os super-heróis e um apelo à defesa nacional. Lembranças de Hulk e Jekyll & Hide…

e o Minotauro do Sítio do Pica-Pau Amarelo clássico (depois de mostrar este tópico ele me disse que era um AMIGO dele que tinha esse medo. Sei).

Parte 2Parte 3

Um que ele disse temer era o Barbosa. Sim, o BARBOSA!!

Não que o Barbosa sejá lá normal… mas ele era engraçado heheeh e veja bem, o monstro trapalhão eu até dou um desconto, o bicho criava uma toga do nada, devia ter até poderes mágicos. Mas o minotauro era foda mesmo! Antes dele aparecer normalmente metiam o efeito sonoro do mugido, já dando aquele climão. Mas esses medos nunca me marcaram. Não como…

E.T. O ATERRORIZADOR Extra Terrestre.

O ano de lançamento do filme é 1982. Vamos dizer que não chegou aqui tão cedo. Imagino que vi esse filme nos cinemas com cerca de 4 anos. Lembro de ter ido ao cinema (na nossa rua principal, esse cinema acabou lá por 89, deixando nossa cidade por uns 10 anos com somente um cinema de duas salas [que existe até hoje]) com minha família, colo de meus pais… E cada vez que aquele bicho estranho aparecia ou esticava o pescoço eu me escondia atrás  do banco. Não sei por que tinha medo dele… ele é tão…

Beijador?

 

Cheirador de cola?

Aterrorizante?

EXTREMAMENTE ATERRORIZANTE!!!

 

Acabou com o primeiro boom dos videogames?

 

Tá bom, não quero defender meu eu infantil, mas vamos concordar, o bicho é feipáporra. Quando eu estava quase me acostumando com ele teve o PIOR momento. Tão ruim que não tem imagem na net. Não lembro por que diabos, o E.T foge da coleira e vão atrás dele. O encontram na beira do rio, como a carcaça de um bicho que a enxurrada levou. Cara, medo de papai noel é uma coisa, tecnicamente ele é humano. Mas o E.T? Pescoço que estica, dedo que brilha? Aquele jeito de falar? Tem um filme muito parecido com a mesma temática que explora melhor o estilo “et peludinho que veio de espaço”…

Mas eu lembro claramente que minha primeira experiência no cinema foi mais que 3d quase. O monstro querendo fugir da tela pra me pegar, quase tão escuro quanto The Leprechaun II

Esse foi meu medo infantil.

Porém… aos 10 mais ou menos tive que enfrentar o meu segundo maior e mais marcante medo que tive (e olha que já tive arma apontada pra cabeça).

O semáforo!!

Era uma tarde como as outras. Almoçava e depois do comercial PAX mundial e da Viação Queiroz (que eu já tinha decorado praticamente), começava um dos meus programas favoritos: Bozo! FUCKIN YEAH!!!

Papai Papudo (Ivo Holanda?), Salci Fufu (Pedro de Lara?), Vovó Mafalda (o Pai da Beth Guzzo?), aqueles marionetes que não lembro o nome, concorrer à caravela playmobil ou a estação espacial playmobil todo sábado, corrida de cavalinhos, batalha naval, fora os desenhos: Pica-Pau, Nossa Turma, Kissyfur, Aquele Tarzan tosco… a coisa mais foda de toda a existência:

Eu quase choro ao ver esse vídeo. FODA-SE QUEM NÃO GOSTAVA DE SPECTREMAN!

Continuando, dá pra ver que eu sou meio fã dele. A versão curta da história (por que farei uma longa sobre Spectreman): Símio mutante Dr. Gori é expulso do mundo pacífico dele com o ajudante Karas (por que ambos não eram pacíficos) e acabam na terra. Aqui Gori se apaixona pela terra e detesta humanos que com sua poluição destroem o planeta. Cria monstros para acabar com os humanos (porra, ele tá certo!) mas os Dominantes mandam o Andróide Spectreman para defender-nos, que se dirfarçava no humano Kenji.  Meio humano, meio robô ele tenta conciliar as ordens dos Dominantes Espaciais de defesa do planeta, pela defesa pela vida (algumas vezes os dominantes mandavam matar mesmo).

Numa fatídica tarde, de um fatídico dia eu encontrei-o. Aliás, eu já o via em toda abertura, em 0:47 do vídeo. O monstro SEMÀFORO!!!

Spectreman monstro semaforo

Esse lindão

A história que eu me lembro é a seguinte: Um meninão ganha um boneco do pai escultor  (esse bicho fei da porra), só que sai feliz correndo e é atropelado por um motorista imprudente (por isso as marcas de rodas no monstro). O garoto fica em coma e vai pro hospital. Só que esse boneco fica gigante e aparece pra atacar motoristas imprudentes. Pelo que eu entendi quando criança, o monstro era o menino que estava em coma, que só atacava os carros por que foi ferido por eles! E Spectreman não podia matar o menino por que ele era inocente, mas os Dominantes queriam que ele matasse-o.

Pensa no dilema: vc preso no corpo de um monstro gigante, sem saber nem onde está e mandam te matar? E falei que o monstro aparecia e sumia DO NADA? Não sei o que mais me aterrorizou, o fato de que qualquer um pode ser atropelado, do monstro ter essas garras ou do garoto ser o monstro… ou o monstro aparecer e sumir.

Hoje sei que a história é outra (mas não tive coragem de ver o episódio inteiro) mas não esqueci nunca do monstro que aparecia na abertura e que me apavorava.

O que me leva ao mais assustador de todos. Esse eu posso dizer que foi dos 11 aos 15 anos mesmo.

A chamada dos filmes do SBT

Todas a tardes tinhamos as histórias muito loucas do barulho, altas travessuras com a galera da Sessão da tarde da globo, que passava Sem Licença pra dirigir, Goonies,  Carro desgovernado e Enchente: Quem salvará nossos filhos? toda semana. No SBT tínhamos o Cinema em Casa que em seus comerciais colocavam SEMPRE “Pela primeira vez na televisão…” mesmo que tivesse passado mais que o programa do Silvio Santos do domingo. Só que o SBT passava mais desenhos, de manhã e à tarde, fora que o programa a Xuxa era pra meninas!

Bem, certas vezes o SBT passava filmes de terror à tarde (que óbviamente nenhuma criança gostaria nem iria ver) só que a chamada do Cinema em Casa não tinha hora pra passar… Então no intervalo do Bozo, Mara e essas coisas, volta e meia passava a coisa que mais me assustou quando criança:

Essa é a cena inteira e é demorada. A chamada do SBT (a única que tem no youtube é fraca até) editava AS PIORES PARTES. È sério, se você tem uns 30 anos tente lembrar:

Essa última imagem eu tenho viva na lembrança, com o logo-carimbo “Pela primeira vez na televisão” no canto direito superior. Todas essas acima passavam no trailer, a qualquer hora do dia e sou da época que não existia controle remoto. Nada de “mudo”, mudar de canal ou coisas DO FUTURO. Com sorte você se cobria com um cobertor, mas normalmente fechava os olhos, tampava os ouvido e falava coisas pra não ouvir a TV. O editor/programador disso devia ser um sádico.

Acho que tinha tanto medo por que a única maneira que meus avós conseguiam fazer com que eu parasse um pouco era falar “Não vai ali por causa do lobisomem”, tanto é que hoje sou fissurado nisso.

O filme Um Lobisomem Americano em Londres é um clássico. Eu vejo e revejo, sinto medo mas adoro esse filme. Considero um top 10 e olha que eu vi muitos filmes de lobisomem. Veja o trailer:

Hoje olho pra trás e tenho saudades desse tempo besta. Mandar carta pro bozo, ficar de saco cheio do chacrinha, ver Alf e Thundercats no domingo, e ter medo de coisas da TV.

Anúncios