Cowboys & Aliens – Resumo da HQ – Spoilers

Bem, como prometi, farei a resenha da história Cowboys & Aliens, que deve sair como longa metragem no meio do ano que vem.

Basicamente Aliens caem na terra, durante o velho oeste (não sei como utilizar essa palavra). Essa raça é acostumada a dominar planetas, escravizando as raças que consideram úteis, matando as que resistem demais.

A história começa com um cerco de indígenas a colonizadores protegidos pelo protagonista Zeke e a sua parceira Verity. Ah, mas tem um prólogo fazendo um paralelo entre os alienígenas tomando e destruindo planetas, com o homem branco tomando e destruindo terras dos índios.

Zeke e Verity foram contratados para defender as pessoas da caravana, enquanto elas vão para a terra que compraram crendo existir uma grande mina de prata.

Durante um cerco de indígenas, Zeke foge para procurar ajuda mas é capturado por 3 índios. Quando estes vão executá-lo, cai do céu uma espaçonave (em forma de disco a lá Contatos imediatos do 3o. grau).

Mas com menos música e Spilbergs

Enquanto os indígenas olham para o desastre, Zeke foge. Os índios tentam entrar em contato com os aliens e são prontamente executados.

Os alienígenas parecem uma mistura dos guardas de “História sem Fim” e jacarés.

Ou eram esses caras do fundo+jacarés?

Os vilões estão ilhados e pesquisam sobre de quem era o planeta. Descobrindo que não havia nenhum registro sobre isso, resolvem declarar o planeta deles e chamar reforços, já que sua espaçonave fora muito danificada. Em cada momento que aparece, o líder alienígena é definido como alguém extremamente violento, tornando-o um alvo fácil para o ódio do leitor. Os aliens partem atrás de um lugar para montarem uma base.

Zeke, presenciando escondido a sumária execução dos 3 índios, resolve procurar algo útil nos destroços da espaçonave, encontrando convenientemente uma espécie de revólver que em seguida descobre ser uma espécie de arma de microondas.

Os alienígenas tomam e destroem violentamente um forte dos brancos e zeke se encontra com o comboio inexplicavelmente indioless. Agora o comboio vai em direção à cidade prometida e o que encontram é uma cidade praticamente abandonada. Segundo o prefeito/banqueiro/funerário/barman/solteiro da cidade, 6 meses atrás (tempo em que o comboio saiu de casa) se descobriu que a mina de prata havia se esgotado.

Preocupados sobre os alienígenas as pessoas ficam aliviadas quando vêem o que parece ser a cavalaria, mas que infelismente é outro ataque alienígena (com motos flutuantes). No meio do caos que se segue, Zeke consegue usar a arma, supreendendo e eliminando alguns alienígenas, levando Verity a encontrar uma arma alienígena convenientemente em forma de chicote “Igual ao meu antigo chicote”. O grupo consegue escapar do massacre e são perseguidos até um desfiladeiro, onde os índios armam uma emboscada para os aliens. Em mais um corte de cena inexplicável, os índios com arcos e flechas conseguem matar vários aliens que pistolas não conseguiram.

Pegando armas e ferramentas alienígenas, índios e brancos se ajudam mutuamente.

Os Índios colocam cilindros alienígenas nas flechas e descobrem estas se tornam convenientemente flechas-bomba.

O guerreiro da tribo (Warhawk – Àguia de Guerra) encontra convenientemente uma espécie de óculos que mistura raio-x, telescópio, visão noturna e manhas de videogame. Agora ele é um o melhor trilheiro do grupo. Ao ver Verity tomando banho (inexplicávelmente de roupa, junto com índias também vestidas) se apaixona.

Uma alienígena que assessorava o lider alien acaba entrando em contato e se unindo aos humanos, por que sua raça também foi escravizada. Warhawk tenta algo com Verity (com a autorização dela) e Zeke a critica. Depois fala ele que acha a alien bonita.

Índios e brancos bolam um plano junto com o prefeito/banqueiro/funerário/barman/solteiro da ciadae e a alien: invadir a cidade (agora local da antena alien e centro de comando)  pela mina abandonada, enquanto outro grupo simula uma ataque a cidade. Dessa maneira os aliens não podem pedir reforços.

O plano segue conforme o combinado até que o prefeito/banqueiro/funerário/barman/solteiro da cidade trai os humanos, revelando o plano. Esperando ganhar algo dos aliens, ele é enganado e preso junto com os outros humanos, sendo morto (supõe-se mas não mostra-se) por Verity.

Enquanto aguardam serem executados, chegam os reforços humanos: das motos voadoras o ferreiro passa metade a história tentando criar algo útil, até que cria ferraduras para que os cavalos voem (uma das cenas mais constrangedoras que eu já vi, e eu li A saga do clone, do Homem-Aranha).

Ocorre o duelo final entre o líder alienígena (que fere a alien) e Zeke, e o segundo em comando e Warhawk+Verity.

Zeke – que descobriu usar uma ferramenta para manutenção de naves –  segue a dica da alien atirando um selante no chefe alien e este acaba recoberto de metal (mas naqueles momentos tipo “O mal ganhou!!!”).  O vilão cai sobre uma catapulta improvisada da alien, que atira o explosivo descoberto por Zeke em cima da antena alien, em cujo prédio estão perdendo a luta Warhawk e Verity. Convenientemente o sino (o prédio era a igreja) cai sobre o segundo em comando alien e os humanos ganham. Zeke beija a alien que aparentemente morre; Verity beija Warhawk.

Brancos e índios decidem viver em paz entre si e descobrimos que a alienígena era uma transmorfa da resistência, que quer liberar os mundos escravizados pelos alienígenas maus. Ela diz que os humanos podem ser uma boa adição e passam a palavra que os indica amigos “howdy” ou “Diiiia parrrcero” em bom português.

Anúncios