Viagem para europa 2009 – viagem pra lá

Bem, minha melhor ida à Europa (2010) começou quando eu descobri que meu irmão ia mudar-se pra Munique por 6 meses.

Munique é a cidade onde ocorre a primeira das Oktoberfest se eu não me engano. Fica no interior da Alemanha e LOTA todo meio de setembro até começo de outubro.

Eu fui uma vez na europa e sabia que teria que juntar grana uns 2 anos pra ir de novo, direito… Porém pra explicar o que conheço de europa preciso começar pelo começo.

Em 2009 fui pra europa visitar meu irmão. Ele morou 6 meses em Dresden com bolsa de estudante. Fui visitá-lo praticamente um mês pós ele chegar na europa, ainda era menos fluente no Alemão do que ficou depois.

Comprei uma passagem pela AirFrance logo após a queda do airbus, que me custou coisa de 2,200 reais ida e volta. O avião saiu de Guarulhos-SP, passou em Paris, França e me deixou em Frankfurt na Alemanha. De lá eu marquei um voo pela Lufthansa para Dresden (ida e volta). Muito esperto que sou coloquei um intervalo de 11 horas entre a chegada pela Airfrance e saída de Lufthansa.

O voo Brasil>Europa foi bem calmo, ja faz 1 ano e mal lembro. Acho que tive que ver uns filmes horríveis, nem lembro quais. Como previ, o aeroporto de Charle de Gaulle foi um caos e até achei que ia perder a conexão para Frankfurt por que demorei bastante (principalmente por que separavam as pessoas que não tinham passaporte, sendo que confundi um guarda me separar, mesmo tendo passaporte). Atrasei uns 30 minutos e atravessei o aeroporto correndo. Filas enormes nos Raio-x e igual na imigração. Eu com a mochila e um casaco leve que realmente esquenta em um clima incrivelmente quente.

Consegui entrar no avião e fiquei calmo, suando em bicas, por que PEGUEI o avião. Pois o avião ainda demorou 1 hora para decolar. Legal né?

Chegando em Frankfurt imaginei que a imigração seria um saco, brasileiro, sozinho, sem carta de indicação (meu irmão n podia dar, estava a só 1 mês lá)… Cheguei e fui ao banheiro, pois tanta comida de avião e corrida acabam chegando ao estômago com velocidade. Após deixar minha marca no aeroporto saio e tenho uma visão que nunca mais tive: apenas uma mala na esteira, A MINHA, me esperando. Tudo bem que demorei horas na latrina, mas é bom não ver aquele amontoado de pessoas esperando as malas aparecerem lentamente. Também fiquei um pouco triste, por que me arrumei de maneira que se a mala sumisse pos uns 2 dias, eu usaria o seguro e tinha uma grana a mais pra gastar.

Saí já imaginando o tanto do meu (parco) alemão que gastaria no aeroporto. Fiz um ano de alemão, mas não estaria preparado pra falar fluentemente. Seria Mezzo Alemão, Mezzo inglês. Chegando numa sala que eu entendi “imigração” com a maior cara de cachorro perdido, vi 3 guardas (arrumando algo elétrico) e fiz menção de entrar. Uma guarda olhou  pra mim e só indicou para seguir reto. Pensei “-A salinha para brasileiros deve ser ali…”. Quando saio do setor de chegadas. Estava em solo Alemão sem precisar de NADA pra entrar (Além do passaporte, né cabeção). Acho que devido ser a segunda semana de Oktoberfest e Frankfurt ser o maior aeroporto Alemão, eles deixaram barato.

Agora, devido a toda minha esperteza, tinha ONZE HORAS pra queimar no aeroporto que descobri que ser o maior que já tive o prazer/desprazer de explorar. Queria ver como era o tal já que li ter até um metrô interno para deslocamento. Caminhei por um bom tempo, pedindo informações sobre onde despachar logo minha mala, onde era o lugar de embarque… Acredite em mim que o metrô  apesar de útil ainda é pouco. São 3 setores que creio ser cada um maior que o aeroporto de guarulhos. Depois de andar e muito achei o Check-in da Lufhansa e tive uma surpresa: O caixa falava um português meio Portugal meio Brasil, mas claramente.

Tentei adiantar meu vôo (pegar um lugar que não tivesse ocupado em um vôo antes do meu, e liberar para venda o meu assento que só saia à noitinha) o que me parece não só lógico, como econômico! Assim o voo que já iria com uma vaga sobrando, levava um pagante de outro e liberava o assento de mais tarde pra venda!  O cara do check-in também achou, mas que era uma coisa que a Lufthansa não faria, pois nunca lhe ocorreu. Tenho certeza que ele indicou isso pra direção e ganhou prêmios e prêmios a minhas custas.

Continuando, livre da mala e apenas com minha mochila (bagagem de mão) estava sossegado para caminhar. E assim o fiz. Caminhei até cansar, vi todos os setores… Resolvi passar pelo raio-x logo por que ficaria na seção “segura” do aeroporto, somente passam pra lá quem tem passagens ou staff.

Pois na área de embarque era maior ainda. E devia ser a de viagens nacionais (Alemanha-alemanha afinal). Era um corredor que dava fácil a área externa de guarulhos. Tomei meu primeiro refri lá, uma Fanta. Comprei por que ela era AMARELA!!! Legal né? É uma BOSTA. Pura casca da laranja. Caminhei, olhei todos os banheiros (e são muitos), andei em escadas rolantes deitadas, vulgo esteiras rolantes e quando cheguei no fim… virava à direita e tinha outro corredor igual. Fui até o fim e voltei.

Sempre tive só uma bolha no pé, embaixo do dedo do meio no pé esquerdo.

Nessas andaças NO PRIMEIRO DIA NA EUROPA, eu enchi o pé de bolhas, sendo que na primeira semana por lá eu mancava. E nem tinha chego em Dresden ainda.

Adendo: Lembro agora que eu usava um tênis que comprei pra essa viagem e que usei seguido um mês no Brasil. Mas ele era muito ruim e acabou com meu pé de várias maneiras na europa.

Depois de camelar, resolvi descansar. Achei um lugar bem escondido, coloquei meu mp3 player sony no ouvido e dormi, acordando de 30 em 30 minutos (que é o meu normal).

Depois de tanto tempo, o embarque foi liberado pro meu avião. Paguei coisa de 300 reais ida e volta Dresden-Frankfurt e não esperava um vôo bom. Pois teve boa comida (basicamente melhor que a da Tam, por que não queriam ser gourmets) com direito a Cerveja ou Vinho. Eu besta, pedi refri por que não sabia que tinha cerveja. Quando vi um alemão pedindo uma, acabei dando uma de criança pidona e pedi uma também. Beck’s. Amarga pra caramba, mas minha primeira cerveja européia na europa.

Cheguei no aeroporto de Dresden (não sei por que me lembra o de Curitiba) e meu irmão veio me encontrar.

Continua

Saga inteira 2009

Anúncios